A Marché não é só uma boutique de design, ela é o “lar” de todos aqueles que amam o design. No entanto, o que significa uma casa, um lar? Qual a diferença entre essas duas palavras que parecem sinônimas, mas não são?

Para nós da Marché, Lar é onde sentimos pertencimento, é uma espécie de caderno em que nossa história é escrita diariamente através do design e da arquitetura. Habitamos muitos lugares, o nosso corpo, a primeira de muitas casas; a nossa cidade também; o nosso estado; país; planeta. Temos tantos domicílios, mas quantos lares sabemos ter? Como é possível tornar o espaço onde simplesmente moramos em um lugar de aceitação e acolhimento, do qual somos parte e também agentes transformadores?

O desejo da Marché é ajudar nessa construção. Nossos diretores criativos, Cris e Arbel Reshef, decidiram trazer as experiências da vivência próxima à natureza para dentro da nossa marca, pensando cada objeto a partir de suas origens, matérias-primas, da sua conexão com o orgânico e com o tempo. Compartilhando a coragem de modificar tudo o que pode ser reinventado, pretendemos construir juntos um local diferente do que estamos acostumados; um ambiente em que os itens (expressão individual de cada designer) sirvam como veículos de novos valores e assim possam auxiliar as pessoas a fazer o mesmo em suas próprias casas.

Porque o que realmente nos importa são todas as histórias contadas pelas nossas peças de design: A história de quem as fez, a história de como e porque elas foram feitas, as histórias dos seus lugares de origem. Histórias e mais histórias resultando numa gama de produtos que retratam o design em toda a sua diversidade, obras de centenas de profissionais vindos de todas as partes do mundo, que se encontram e dividem a mesma casa, um lar chamado Marché art de Vie.